30.6.11

a falta que uma prova faz

Euzinha (maio/2010)
Dizem que o ideal é participar, no máximo, de uma competição por mês. Mas, e o mínimo? Faz um pouco mais de um mês que participei da minha última corrida e aqui estou eu com uma saudade danada de correr com um número no peito e um chip no pé. Não é pelo fato de ser uma competição, pois meu único oponente é a minha mente e duelamos em cada santo treino. Participar de uma prova é meio uma recompensa meio um feedback dos treinos.

 É recompensa porque é uma delícia aquela ansiedade da véspera da prova, a retirada do kit, botar chip no tênis, ganhar medalhinha, enfim, como diria Caetano: "a corrida é linda, a Bahia é linda, tudo é lindo." E é feedback porque é durante a prova que o resultado daqueles treinos que parecem ser meio sem sentido aparecem. Vou assumir, se pudesse só faria treino contínuo e longão, mas sei que os fartleks e tiros são fundamentais. Sem eles, não evoluiria nunca. Sim, nas provas é que constatamos nossa evolução, nelas é que damos o nosso melhor e buscamos melhorar nosso recorde pessoal.

Não vou mentir, dá uma desanimadinha treinar sem ter uma prova em vista. Sim, eu amo correr e quero correr pro resto da vida, no entanto sem uma meta pra estimular, os treinos vão ficando meio monótonos e a auto-sabotagem começa a tomar de conta. Como não tem nenhuma prova prevista para as próximas semanas aqui, já penso seriamente em dar um pulinho (ou seria uma corridinha?) em Recife ou São Paulo. Enquanto isso vou matando a saudade lendo os posts da Fabiana sobre a sua preparação para a meia do Rio, a saga da Yara em seus primeiros 5km, emocionando com a primeira maratona da Simone e torcendo pelos 10k da minha xará.