12.12.08

I'm fuckin' Ibiza - parte III

Depois de tomar bromoprida - que não dá sono como o Dramin - eu consegui finalmente sair da minha cabine em direção à área da piscina. Toda phynna de biquini com óculos escuros e livro na mão, cheguei no 9º andar e dei de cara com a piscina vazia. Como assim, Bial? A única opção que restava a mim e aos outros trocentos passageiros eram as duas jacuzzis com hidromassagem que mediam no máximo 2 metros de diâmetro, e - que surpresa! - eles já estavam lá se refrescando com seus copos na mão. Eu poderia até descolar um espacinho pra mim, mas imaginei aquela profusão de pernas de gente bêbada e feia se encontrando debaixo d'agua e pensei coisas tipo "Nem fudendo!" ou "Só se fossem as pernas dos tripulantes italianos" ou.... ou.... como era mesmo? Italiano, jacuzzi, fodendo... ah, deixa pra lá...

Tive que me contentar em tomar sol numa cadeira lendo meu livrinho ótimo "Extremamente alto & Incrivelmente perto " que por acaso eu terminei antes de chegarmos em Noronha. Isto me conferiu um certo pânico. Afinal o que raios eu iria fazer na viagem de volta? Aula de lambada? Aula de rumba? Ver espetáculo de música & dança? Opa... vi uma terrinha ali. Gente, é muito emocionante fazer o pedro alvares cabral, recomendo a todo mundo ter esse momentinho "terra à vistaaaaa!!"

Finalmente, Noronha!!