5.6.09

7 minutos.

Ainda não foi dessa vez que fiz os 10km em menos de 1 hora. Domingo passado foi a minha primeira corrida oficial, com inscrição, kit e chip tudo nos conformes e eu terminei a prova em 1 hora e 7 minutos. Minha mãe me consolou dizendo: "Foi por pouco". Ela não sabe que 7 minutos também foi a diferença do meu tempo nessa prova e a primeira que participei [na pipoca!] há exatamente 9 meses. Nesse aspecto sim, ela tem razão, 7 minutos é pouco. Eu poderia ter baixado meu tempo muito mais do que isso, eu poderia estar correndo 10 km em pouco mais que 50 minutos, mas... sempre o mas... olhando para trás e analisando esses 9 meses de corrida eu reconheço que me dediquei pouco e cometi muitas falhas.

A mãe de todas as falhas é congênita, minha corrida nasceu com ela: a dependência do grupo de corrida. O fato de ter começado a correr com uma acessoria esportiva me ajudou muito; aprendi a importância de ter treinos diferenciados [até então nunca tinha nem ouvido falar em fartlek e progressivos!] e entendi que treinar é muito mais do que calçar um tênis e sair correndo por aí [apesar de ser isso também]. Ter alguém que fazia uma planilha mensal pra mim que ditava o volume e a intensidade da minha corrida era muito cômodo. Tudo que eu precisava fazer era correr três vezes por semana. Mas aí vem o problema. Eu me acostumei a só correr com o grupo, apesar de ter a planilha à disposição no meu email. Se por acaso eu não pudesse ir correr com o grupo, era um treino perdido, pois no dia seguinte eu não ia correr sozinha. E isso não aconteceu poucas vezes.

Treinar somente duas vezes por semana é inadmissível para quem quer melhorar seu tempo, seja qual for a distância. Esse foi o meu maior erro. Parar de treinar por mais de uma semana por causa de viagens e feriados foi outra falha que cometi algumas vezes. Toda vez que voltava para os treinos perdia pelo menos uma semana de treino para recuperar o condicionamento que tinha. Assim fica difícil evoluir. Todo mundo acha lindo quando você diz que corre, mas ninguém te apóia quando você diz que vai dormir mais cedo porque vai treinar na manhã seguinte. E a carne é fraca, né dona Aline? Aí lá vem as bebidas, as farras, os excessos, as farrapadas...

Depois dessa última corrida eu pensei muito nesses 9 meses que passaram, mas pensei mais ainda nos 3 mses que estão por vir. É esse o tempo que falta para a Meia Maratona do Rio de Janeiro. Me inscrevi para uma corrida de 21km quando mal consigo correr 13km. Louca? Eu? Imagina... A moral da história é que preciso mudar pra reverter esse quadro. E eu já comecei: no dia seguinte ao da corrida saí do meu grupo. Agora eu sou a minha própria treinadora. Sei que foi uma mudança arriscada, eu me conheço e sei o quanto sou preguiçosa e sem determinação, mas como diria Beck "I'm a driver, I'm a winner; things are gonna change I can feel it".


ps. Outro grande estímulo é que em setembro completo um ano de corrida. Tenho que comemorar em grande estilo, né?