30.5.11

Se essa rua fosse minha...

Ontem a noite vivi uma situação completamente surreal enquanto fazia meu longão de domingo. Estava correndo com um amigo e ouvimos um carro se aproximando e buzinando, continuamos a correr - não imaginávamos que ele estava buzinando pra gente, pois estávamos correndo no mesmo lugar em que corremos todos os dias da semana. Não estávamos no "meio da rua", afinal não somos loucos nem queremos ser atropelados. Corríamos colados aos carros estacionados no lugar que supostamente deveria haver cones exatamente para evitar carros e as pessoas pudessem correr com segurança. Mas, que surpresa, os cones não estavam lá!

Continuando a história... o tal carro emparelhou conosco e o motorista gritou: "VOCÊS NÃO TEM MEDO DE CARRO? SAIAM DO MEIO DA RUA" minha primeira reação foi gritar de volta: "NÃO, NÃO TENHO MEDO NÃO". Para nossa surpresa, o motorista estacionou o carro a alguns metros a frente. Quando passamos ele ainda manobrava o carro e, não satisfeito, continuou: "POIS DEVIA TER MEDO, CARRO ATROPELA GENTE". Minha vontade era parar de correr e dar uns tapas na cara daquele senhor, que raiva!!!!! Como alguém pode ser tão ignorante assim? O que me deu mais raiva é que ele estava estacionando o carro dele ali pra CAMINHAR. Para ser pedestre. Ou será que só é pedestre quem não tem carro? Só é pedestre quem caminha porque não tem dinheiro pra usar transporte público? Se esse motorista fosse um bêbado voltando de uma farra, minha raiva seria um pouco menor, e acho. O que eu não entendo é como uma pessoa que sai de casa no seu carro num domingo a noite pra caminhar pode ter tal mentalidade de que CARRO é mais importante do que GENTE. Se ele não pode sair a pé pelas ruas próximas da sua casa pra fazer a sua atividade física, deveria lutar por seu direito de ser PEDESTRE e não se voltar contra as pessoas que exercem esse direito mesmo em condições adversas.

Eu reconheço e reclamo que o lugar em que corremos não é o lugar ideal. Queria ter um parque seguro e iluminado com uma pista decente, sem correr o risco de ser atropelada por carros e motos em alta velocidade, como os paulistanos tem o Parque do Ibirapuera, mas se não temos isso vamos esperar sentados no sofá? Eu queria ter uma avenida inteira fechada pra esporte e lazer aos domingos como os brasilienses tem o eixo monumental Rodoviário (Eixão), mas se a prefeitura de Teresina não nos oferece isso, vamos correr só em esteiras? A cidade é feita de usos espontâneos e o uso da Avenida Raul Lopes para fins esportivos está mais do que consolidado. O que falta para que ele seja reconhecido?

* Desculpa pelo post chato, mas eu precisava DESABAFAR. Me sinto muito frustrada como corredora, cidadã e arquiteta quando coisas assim acontecem! *