10.10.11

uma corrida de [quase] 6km

Apesar de estar ausente do blog, nesse mês participei de uma [quase] corrida. Aniversário de um supermercado local, prêmios em compras, largada e chegada no próprio supermercado. Não existe feira de bairro? Pois essa tava parecendo uma corrida de bairro. Com a diferença de que até as feiras livres são mais organizadas. Indefinição do horário de largada, kit sem chip, camiseta ruim, trajeto de 5,75km. Tudo parecia dizer: FUJA. Mas a inscrição era gratuita, a prova numa manhã de domingo e alguns amigos instigando - eu me perguntei "porque não?". Se eu morasse em um lugar como Rio e São Paulo que tem corrida quase todo final de semana eu seria bem mais seletiva, mas não é o caso. Aqui vale a máxima "se vira com o que tem". E no ano inteiro tiveram exatamente 3 corridas. Vai vendo....

A largada que era pra ser "mais ou menos" 8 horas terminou sendo "mais ou menos" 9 horas. Se em condições normais isso já não é muito agradável, imagine no calor infernal de Teresina. Se a largada fosse 6 horas, os corredores agradeceriam. Adaptando o ditado, quem tá no sol é pra se queimar, né? Então só podíamos torcer para que tivesse pelo menos dois pontos de hidratação com água tinindo de gelada. É pedir demais? Parece que sim. Enfim, finalmente largamos e tentei manter um ritmo bom e ao mesmo tempo me manter próxima de alguma menina que estivesse com ritmo parecido. Tinham poucas pessoas na corrida e eu não queria correr o risco de correr só. Até o km 3, onde tinha o único ponto de hidratação, consegui me manter num grupo, mas depois outros aceleraram, uns diminuíram o ritmo e eu terminei me vendo sozinha. Meu psicológico já começou a dar sinais de fraqueza....

Pra meu azar, esse era o pior trecho da corrida. Só subida. E o calor aumentando. E eu pensando: "Quero meus amigos!". Resisti até onde pude, mas quando encontrei conhecidos caminhando foi fatal. Psicológico quebrou de vez. Encontrei a desculpa perfeita pra diminuir o ritmo e ainda caminhar em alguns trechos. Eu dizia "é a sede, é o calor". E tanto não era isso que nos últimos metros ainda dei uma aceleradinha. Era uma coisa simples e fácil de resolver: eu preciso aprender a correr sozinha. Essa foi a lição dessa corridinha bagunçada.  É ótimo pegar carona no ritmo e no ânimo dos amigos, mas é preciso também saber fazer a sua corrida. Sem se importar com que caminha ou corre mais rápido que você, simplesmente manter o SEU ritmo. É isso, para a próxima planilha: trabalhar a independência! E o psicológico... SEMPRE! :)