29.3.12

"A sua beleza é bem maior do que qualquer beleza de qualquer salão"


Rita Hayworth dizia "Os homens vão para cama com Gilda e acordam comigo". Nessa semana os homens do Brasil inteiro acordaram com Juliana Couto Paes. E muitos não gostaram. A atriz e musa Juliana Paes foi fotografada com ar cansado e sem maquiagem comemorando seu aniversário numa mercearia no interior do Piauí. Alguns elogiaram a simplicidade da musa de tomar sua cerveja numa mesa de plástico, no meio do nada, sem vaidade e sem afetações. Mas a grande maioria choramingava nas redes sociais quase exigindo uma explicação para tal deslize: "Com que direito ela aparecia assim nada menos que sexy e maravilhosa? E suas fantasias sexuais, como se restabeleceriam depois de tão duro golpe?"

As mulheres pegaram carona na desilusão dos homens e aproveitaram para darem um up na auto-estima. Chamam Juliana Paes de horrorosa e disseram que se usassem maquiagem ficariam mais bonitas do que a atriz. Não duvido. Afinal, existem milhares de brasileiras mais perfeitas que Juliana, mais nórdicas - que brasileiro adora, com rostos mais simétricos, olhos menores, mais magras - como a moda dita, mais loiras, com menos celulites e mais peito. Maquiagem é ótima para disfarçar imperfeições e realçar pontos fortes, mas não transforma ninguém em musa de um país com tantas beldades. Existe algo além da perfeição que encanta, algo que de tão impreciso as pessoas convencionaram chamar de "je ne sais quoi". Infelizmente, meninas, não vende na Sack's. 

Eu, particularmente, não entendo a reação exagerada das pessoas às tais fotos sem maquiagem. Juliana Paes vive se reafirmando como mulher imperfeita - pelo menos na óptica do brasileiro comum. Assume ter celulite - que tipo de musa é essa?, foi vista "n" vezes com sua latinha de cerveja na praia - mulher bebendo cerveja?, falou abertamente sobre ser praticante da umbanda - isso lá é religião? e após a gravidez, em vez de se internar num SPA e emagrecer 20 quilos em dois meses como uma celebridade padrão, fez várias aparições na mídia com o corpo mais cheinho. E ainda assim continuava sendo elogiada, o que houve de errado dessa vez? Os homens até aceitam uma mulher que não seja perfeita no panteão de suas deusas, contanto que ela tenha uma bunda massa, claro. Mas não usar maquiagem e parecer cansada após um dia exaustivo, é uma prerrogativa reservada às suas esposas, reles mortais. Será que é isso?

Juliana Paes do auge da sua imperfeição delibera que mulheres normais podem ser musas e musas podem ser mulheres normais. Mas como Zeca Baleiro canta em Salão de Beleza: "Mundo velho e decadente mundo, ainda não aprendeu a admirar a beleza, a verdadeira beleza, a beleza que põe mesa e que deita na cama. A beleza de quem come, a beleza de quem ama, a beleza do erro, puro do engano da imperfeição..."