28.4.12

Desapega e Evolui


Quando apertei o botão end no relógio a sensação era de ter acabado de bater um recorde pessoal. Nada a ver com velocidade, mas talvez tenha sido o treino mais longo que fiz sozinha nos últimos anos. Foram míseros 10k bem arrastados em 1h e 06 minutos; só que pra mim que corro sempre acompanhada foi uma distância e tanto. As dificuldades começaram cedo, mais precisamente as 5:20am quando o alarme tocou. Pra quem está acostumada a correr a noite e não levanta da cama antes das 7am, força de vontade define. Botei pra dentro uma colher de chá de pó de guaraná e por cima duas bolachas de água e sal e torci para a mistura funcionar sem me dar revestrés no meio do caminho. [Aliás, vocês que correm de manhã bem cedo, me digam o que comem antes do treino. Desde já, grata]

Pensei cá com meu cinto de hidratação, se eu já calcei o tênis a essa hora da manhã o mínimo que posso fazer é treinar direito, sem as usuais sabotagens de quando vou treinar sozinha. Transformar um treino de 10km em 7km, um contínuo em intervalado com caminhadas, treino moderado em leve e outras coisas do tipo das quais não me orgulho. O treino do dia era pra ser 1 hora de contínuo leve, mas antes mesmo de começar, estabeleci que faria 10km simplesmente para provar pra mim mesma o óbvio: sim, eu posso correr sozinha.

Dizer que correr com outra pessoa influencia na corrida é chover no molhado. Não é a toa que existem corridas com pacemakers  vulgo "coelhos". Inclusive no final de 2011 tentaram anular o recorde mundial feminino em maratona por ter sido obtido numa corrida mista, implicando que Paula Radcliffe teria "recebido" pace dos corredores homens. Se até ela corre melhor assim, por que devo eu me envergonhar de sentir tanta falta dos meus amigos mais rápidos? Sou eu menos corredora por causa disso? Entretando, ainda me espelhando na melhor do mundo - guardada as devidas (des)proporções - verifico que a mesma, apesar de dois minutos mais lenta, também detém o recorde em corrida exclusivamente feminina. Moral da história? Você pode até correr melhor acompanhada por um "coelho", mas é preciso também saber correr bem sozinha.

Ainda preciso de muitos quilômetros para aprender a correr bem só,  meu recorde exclusivamente comigo mesma  está longe do recorde da minha "corrida mista", mas pelo menos agora eu tenho um recorde! Eu desconfio que a próxima vez vai ser melhor. Não sei se é a proximidade dos 30 anos, mas percebo uma tendência a sair da minha zona de conforto. Em alguns aspectos passar a se apegar e em outros aprender a desapegar, mas por certo, em todos evoluir.