1.10.12

Uma nova fase

Quase não caibo em mim de felicidade. A Corrida do Carvalho foi a materialização do sonho de voltar a correr sem lesões. Sei que sempre que houver esforço e superação, as dores estarão presentes, mas elas não precisam virar lesões, né? Eu já nem lembrava a última vez que tinha corrido sem estar com algum problema. Nesse domingo eu corri livre-leve-e-solta, encarando a prova como um recomeço. Não é uma continuação porque já não sou a mesma corredora de antes - estou mais cuidadosa, menos impulsiva. As lesões me ensinaram que os excessos sempre terão um preço. Agora tenho seguido o mestre Mies van der Rohe: "Menos é mais".

A largada era pra ter sido 7:00, mas terminou sendo 7:30 e esse foi um dos pontos negativos da corrida. Alguns corredores foram avisados quando foram retirar o kit, mas eu só fiquei sabendo quando cheguei no local da corrida. Acordei 5:30 e ainda pude ver um restinho da maratona de Berlim enquanto tomava café. A briga foi boa no masculino, né? Pena que não teve quebra do recorde. Dessa vez troquei o leite com café pelo suco de acerola com o já clássico misto quente. Nas últimas vezes que tomei café antes de treinar, terminava a corrida com um sprint para o banheiro. Achei melhor não arriscar. [hahaha]

antes da largada!
O outro ponto negativo da corrida foi uma invenção na hora da largada de colocar as mulheres para largar na frente. A ideia seria razoável se dessem um intervalo entre a largada feminina e a masculina. Mas o que aconteceu na vida real é que na hora da largada os homens saíram atropelando as mulheres. Sinceramente não entendi o propósito disso. Apesar desse atropelo no começo, depois as pessoas se espalharam e cada um fez sua corrida. Acelerei na descida, sofri na subida e no fim das contas terminei os 5,6km com um pace médio de  5:57min/km. Satisfeita. Voltei a ter pace sub 6', ainda que por 3"!

Medalha no peito
Agora os pontos positivos - que foram muitos. As ruas foram interditadas na medida do possível e em nenhum momento me senti em perigo pelos carros que passavam na pista liberada. Os postos de água foram bem distribuídos. A medalha é bonita (com mês e ano do evento, só faltou a distância). Na chegada, muitas opções de lanches. O que mais esperar de uma corrida de supermercado? Era bolo de aniversário do supermercado, cachorro-quente, espetinho de frango e frutas, muitas frutas. Abacaxi cortadinho e docinho, melancia, uva, banana e maçã. Dava pra fazer uma salada! Não vou mentir... eu me fartei de melancia, uva e abacaxi (as fotos não me deixam mentir).

Ao vencedor, as batatas...ops... MELANCIAS!! 
Fazia tempos que eu não terminava uma prova tão realizada. A meia do Rio em agosto foi incrível, mas teve o ranço da lesão - não foi o que poderia ter sido. Nessa foi diferente, eu sei que dei o meu melhor e senti que a partir de agora posso evoluir. Depois da comilança no supermercado, voltei pra casa e tratei logo de colocar os pés de molho no gelo e fazer muito alongamento. Essa é a nova Aline.

Próxima corrida: Golden Four Asics - Brasília!!! Dia 04 de novembro!!