2.12.12

A vida não cabe numa planilha

Isso não é um mea culpa por ter farrapado com o último treino da semana. Afinal, não existe culpa. Mas quando voltava da viagem que me fez não correr na sexta-feira, eu pensava se deveria correr no domingo pra compensar ou deveria simplesmente deixar pra lá e partir para a próxima linha da planilha. Optei por seguir adiante, treino perdido é treino cumprido.

Lembrei do Niemeyer dizendo que a vida e os amigos são mais importante que a arquitetura. Tudo bem que ele falava de outra coisa, outro contexto, mas ainda é a vida e ainda são os amigos. E isso não muda nunca, tenha você vinte, trinta ou cem anos.

Não levei meus tênis de corrida na mochila porque eu não queria ficar nem cem metros longe do amor; eu só queria ficar paradinha no lugar onde eu estava. Eu não queria comer arroz integral e filé grelhado para correr leve, o que eu queria mesmo era comer filé ao molho madeira com farofa e arroz branco. (isso dá um pirão tão gostoso). E repetir o prato. E depois só jiboiar e amar, porque era a única coisa possível.

A vida não cabe numa planilha. Felizmente.

Toda viagem tem um livro.  E o livro dessa foi o "Daytripper".