24.7.10

Sacudindo a poeira...

Desde que ensaiei uma volta às corridas há algumas semanas, tenho me questionado o que é mais difícil: começar ou voltar a correr? Aparentemente voltar é mais fácil - muita gente fala "você já sabe do que é capaz", "é só uma questão de tempo", "logo logo você volta a velha forma", mas nenhum deles já correu uma meia maratona e depois teve que lutar para conseguir correr 6 km - que não é nem um terço de uma meia! Como diz uma música do Depeche Mode: "Before you come to any conclusions, try walking in my shoes."

A primeira dificuldade de voltar é querer recomeçar do ponto de onde você parou. Não existe tal coisa no universo das corridas. Depois de meses sem correr os quilos se acumulam, a gordura abdominal aparece e a resistência física vai pro espaço. E mesmo assim, você vai pra pista crente e abafando que vai fazer 10k no primeiro dia - "o corpo tem memória". Só esqueci de um detalhe: não é a memória de um elefante. Resultado: frustração.

É preciso ser humilde e realista: você não faz mais parte da elite [como se algum dia eu tivesse sido. rá] e deve estabelecer metas mais condizentes com a sua condição atual. Isso é tão eficiente quanto dizer para um viciado em drogas, depois de meses de abstinência: "volte devagar... comece com doses menores". Se você ainda não conhece o seu limite, como quando você começa a correr, você tem cautela e evolui aos pouquinhos. Mas quando eu já sei decorado todos os meus recordes, eu quero SEMPRE correr para alcançá-los ou superá-los. Resultado: mais frustração.

O "lado bom" de voltar a correr foi aprender uma lição que eu jamais vou esquecer: NÃO PARE DE CORRER. Pense duas, três, dez vezes antes de faltar um treino. Recomeçar é pior... mas, caso você pare, recomece. Vale a pena.